http://kid-bentinho.blogspot.com.br/

De volta à torre de Babel

Segundo a Bíblia, houve um tempo em que a humanidade falava uma única língua. Os homens então, resolveram construir uma torre, que de tão alta, alcançaria o céu. A idéia não agradou nem um pouco a Deus, que para frustrar o projeto, confundiu a língua dos homens ( Babel significa confusão). A partir dali, portanto, as pessoas passaram a falar milhares de línguas e a se agruparem conforme seu novo idioma.

Nos tempos modernos surgiram várias tentativas de rivalizar com Deus na criação de idiomas. São as chamadas línguas artificiais.

Algumas foram criadas por estudiosos para se tornarem uma língua franca, um idioma simples que pudesse ser aprendido com facilidade; outras foram inventadas por escritores para fazer parte de seu mundo ficcional e também há as criadas para ser a língua de alienígenas em filmes e seriados de ficção científica.

Nesta postagem, vamos conhecer algumas dessas línguas artificiais, mas com ênfase nas chamadas línguas artísticas ( aquelas criadas para uma obra de ficção) . Caso queiram mencionar outras, podem fazer nos comentários.

Língua Klingon

Alfabeto_klinzhai_del_klingon

Língua criada pelo filólogo Marc Okrand, para ser o idioma dos klingons, povo alienígena de “Jornada nas Estrelas”. Muitos a consideram a língua artificial com o maior número de falantes da atualidade, superando o esperanto. Pode não ser verdade, mas mesmo assim, sua popularidade impressiona.

O “Dicionário Klingon”, escrito pelo criador da língua, já vendeu milhares de exemplares e foi editado em vários países, entre eles o Brasil. Os estudiosos do klingon, já promoveram a tradução de duas obras de Shakespeare: “Hamlet” e “Muito Barulho por Nada” e atualmente desenvolvem o projeto de tradução da Bíblia.

"Quando criei a língua klingon, pensava: "Os klingons não são seres humanos", portanto sua língua tinha que ser o menos humana possível, mas não a ponto de não poder ser pronunciada pelos atores. Não há som em klingon que não exista em alguma língua humana. Mas o agrupamento dos sons é único, os sons não aparecem todos em uma mesma fonte”. Marc Okrand

Site oficial:  Instituto da Língua Klingon

                   Google em Klingon

Newspeak

Língua criada por George Orwell, para o seu livro “1984”. Neste livro o newspeak é descrito como a única língua, cujo vocabulário fica menor a cada ano.

No livro, o newspeak( em português: novilingua)  era o idioma oficial do megabloco da Oceania. O objetivo da implantação do novo idioma era reduzir o vocabulário ao extremo, diminuindo assim a capacidade de pensar, tornando os cidadãos mais vulneráveis às ideias do partido. No final da edição original há um apêndice intitulado: Os princípios da Novilíngua.

Veja algumas palavras da novilingua, com seus significados:

  • Crimidéia: agir contra o Partido.
  • Duplipensar: capacidade de guardar na cabeça, duas ideias contraditórias e aceitar ambas.
  • Imbom: elimina a palavra mau.
  • Plusbom: palavra típica para eliminar diversos adjetivos como ótimo, perfeito, etc.
  • Facecrime: rosto com expressão imprópria.

Sindarin

andriesa

É a língua dos elfos na obra: “ O Senhor dos Anéis” de J.R.R Tolkien. Dentro da ficção, o Sindarin era escrito com o alfabeto Cirth antes do retorno dos Noldor à Terra-média, mas após isto era escrito em Tengwar.

No mundo real a língua é geralmente escrita com o alfabeto latino, representando a transcrição do "Tengwar original" ou "Cirth original". Alguns entusiastas tolkienianos escrevem em Cirth ou Tengwar, usando fontes especializadas, mas a maior parte das composições atuais em Sindarin são escritas com o alfabeto latino.

Para criar o Sindarin, Tolkien usou como base a sonoridade e parte da gramática do gaulês. Os estudiosos do idioma também identificaram influências do nórdico antigo e do gótico.

Veja o que está escrito na gravura em: www.elvish.org

Atlanteano

atlantis

Língua criada por Marc Okrand ( mesmo idealizador do klingon), para o filme Atlantis da Disney. O atlanteano foi projetado para evocar uma língua-mãe universal. A maioria de suas palavras parecem ter se baseado no proto-indo-europeu, embora oficialmente tenha sido dito que contém palavras hebraicas e chinesas.

Assim como o grego arcaico, o atlanteano é escrito, da esquerda para a direita e da direita para a esquerda, alternadamente.

Mangani

O Mangani é a língua usada pela espécie de grandes macacos (também chamados mangani) entre os quais Tarzan se criou e dos quais veio a ser o líder, nas novelas de Edgard Rice Burroughs a partir de Tarzan dos Macacos de 1912. Ao contrário do que pressupõem a maioria dos filmes sobre Tarzan (inclusive o desenho da Disney), na obra de Burroughs os macacos que criaram Tarzan não eram gorilas, mas uma espécie de antropóide ereto que come carne, desconhecida da ciência e mais próxima do Homo sapiens. Assemelham-se bastante aos extintos Australopithecus, embora Burroughs tenha escrito a maior parte das novelas da série antes da descoberta desses fósseis.

Algumas palavras em mangani:

  • Tarzan: pele-branca
  • mangani: grandes macacos
  • tarmangani: grandes macacos brancos, ou seja, os humanos europeus
  • bolgani: gorila
  • nala: para cima
  • tand-nala: para baixo
  • Kreegah bundolo: Cuidado, (eu) mato! - geralmente transcrito nas edições em português como Krig-ha Bandolo!

Kelen

Idioma criado por Sylvia Sotomayor, na tentativa de se criar uma verdadeira língua alienígena. Para isso ela não usa verbos em sua criação linguistíca, o que torna kelen, totalmente diferente das línguas humanas, já que todos os idiomas que existem ou existiram na Terra possuem verbos.

Teonaht

Criada por Sally Caves (pseudônimo de Sarah Higley)

Falada no mundo ficcional de Teonim. É uma língua extremamente elaborada, considerada por muitos como uma das mais belas línguas artísticas criadas desde J. R. R. Tolkien.

Site oficial

Utopiano

Língua criada para a obra Utopia de Thomas Morus. É encontrada em um adendo à Utopia de Thomas Morus e foi criada pelo jovem poeta Peter Gilles, que além de ter sido um amigo de Morus na vida real, também é personagem da obra.

O único texto em utopiano é uma quadra escrita por Peter Giles no seu adendo a Utopia.

Na’ vi

avatar-filme333

Língua criada por Paul Frommer para o filme "Avatar", de James Cameron. Frommer trabalhou durante 4 anos para desenvolver uma língua, que apresentasse características estranhas o suficiente para parecer alienígena, mas que pudesse ser falada por seres humanos.

Exemplo: Kaltxì. Ngaru lu fpom srak? = Olá. Como vai você?

Se desejar aprender na’vi, visite: Learnavi

Loxian

Língua criada por Roma Ryan, especificamente para músicas da cantora e compositora Enya, do seu CD Amarantine, adaptada ao seu tom de voz, afinação e temática.

Fontes:

Orbis Pictus

Wikipédia

Conlang

Duplipensar

Compartilhe essa postagem nas suas redes sociais!