http://kid-bentinho.blogspot.com.br/

Quando o apito decide o jogo

Os erros de arbitragem dividem os amantes do futebol. De um lado há os que defendem o uso de tecnologias para elucidar lances polêmicos como: impedimentos, gols de mão,gols que não balançam as redes e faltas violentas fora da jogada.De outro os defensores da idéia de que os erros do apito são um ingrediente essencial do futebol ( flamenguistas e corintianos estão nesse grupo), erradicá-los levaria junto um pouco da paixão, do imprevisível que fazem do futebol um esporte inigualável.

O grande problema é quando nosso time é o prejudicado, quando é a nosso favor: viva o juiz!

Até mesmo em Copas do Mundo, onde o nível da arbitragem deveria ser altíssimo, já aconteceram erros absurdos, que mudaram o rumo da competição. Conheça alguns deles, uns a nosso favor, outros contra.


Uma ajudinha contra a Holanda em 1994

Nosso adversário nas quartas de final, em 1994, era a poderosa Holanda. O Brasil saiu na frente com Romário, Bebeto fez o segundo com Romário impedido, mas o costarriquenho Rodrigo Baila Sequeira considerou que o baixinho não teve participação no lance e validou o gol. Parecia fácil, mas os holandeses empataram o jogo. Aos 36 minutos do segundo tempo, Branco cavou uma falta e com um chutaço nos deu a vitória. Mas antes de ser derrubado ele empurrou Overmars.


Um ajudaço contra a Bélgica em 2002

Em 2002 sob o comando de Felipão fomos campeões, mas nas oitavas, contra a Bélgica ganhamos no apito amigo. O atacante Marc Wilmots balançou as redes quando o jogo estava empatado em 0 a 0. Porém o árbitro jamaicano Peter Prendergast anulou o gol e marcou falta inexistente do belga no zagueiro Roque Júnior. A seleção brasileira ganhou por 2 a 0, gols marcados por Rivaldo e Ronaldo, no segundo tempo.


Os donos da casa sempre tem razão

A Coréia do Sul chegou nas semifinais de 2002, embora tivesse um time violentíssimo. Sua maior arma foi a arbitragem amiga. Nas oitavas de final, contra a Itália o árbitro não deu um pênalti claro em Totti e para ajudar mais os coreanos, expulsou o atacante. A Coréia venceu por 2 x 1. Nas quartas, os sul-coreanos passaram pela Espanha, nos pênaltis. Mas os espanhóis tiveram dois gols anulados. Baraja balançou as redes, no segundo tempo. A comemoração foi interrompida pelo apito do egípcio Gamal Ghandour. Na prorrogação, Morientes fez outro, de cabeça. O árbitro anulou o gol da Fúria porque a bola teria saído depois do cruzamento. Parece que a FIFA, queria promover o futebol na Ásia a qualquer custo.

Os inventores precisam ganhar uma vez

Os ingleses criaram o futebol, mas nunca souberam usar a invenção muito bem. Em 1966, sob os olhares de Vossa Majestade era imperativo erguer a taça.Não se pode negar que a seleção inglesa contava com grandes jogadores, entre eles o goleiro Gordon Banks e o genial Bob Charlton, mas os súditos da rainha, só ganharam a final contra a Alemanha graças a um gol que não existiu. Aos 11min da prorrogação, Hurst dominou na entrada da área e chutou. A bola bateu no travessão, caiu sobre a linha e saiu. Os ingleses festejaram, enquanto os alemães reclamaram. O árbitro suíço Gottfried Dienst consultou o bandeirinha soviético Tofik Bakhramov, que confirmou o gol. Mais tarde, recursos tecnológicos permitiram concluir que a bola não havia entrado.


Rasgando o manto do futebol arte

Na Espanha em 1982, a seleção brasileira era o time dos sonhos. Zico, Sócrates e Falcão formavam o meio-campo e destroçavam um a um os adversários. O Brasil precisava só de um empate contra a Itália para chegar nas semifinais, mas no meio do caminho havia um Paolo Rossi. O atacante italiano marcou três vezes e eliminou nossa seleção. Pouca gente lembra, mas um erro do apito mudou a história dos brasileiros no jogo. Zico invadiu a área e caiu ao ser puxado pelo italiano Gentile. O puxão foi tão forte que o defensor rasgou a camisa do craque. Zico mostrou a camisa retalhada ao juiz israelense Abraham Klein, que mandou o jogo seguir (em Israel se joga bola?).



A mão do gênio

Como jogador de futebol, o maior defeito de Maradona é ter nascido na Argentina. Não bastasse toda a genialidade de Dom Diego,  em 1986 no México ele fez um gol de pura malandragem. Argentina e Inglaterra disputaram um jogo encardido nas quartas da Copa do Mundo de 1986 no estádio Azteca, na Cidade do México. Aos seis minutos do segundo tempo, um zagueiro inglês recuou para o goleiro Peter Shilton, com um balão. Mas o baixinho Diego Maradona estava por perto. Ele se antecipou e usou a mão esquerda para abrir o placar. O árbitro Ali Benaceur, da Tunísia, deu uma mãozinha para os argentinos e validou o lance. A Argentina venceu por 2 a 1. No final do jogo, o craque disse que fez o gol com a mão de Deus. A frase é lembrada até hoje pelos fãs de Maradona.



arbitros

Como podem notar, a FIFA só escala árbitros dos grandes centros do futebol para jogos importantes em Copas do Mundo: Costa Rica, Egito, Israel, Tunísia… vai entender!
Se você sabe de outro grande erro de arbitragem, por favor nos conte nos comentários!

Compartilhe essa postagem nas suas redes sociais!