http://kid-bentinho.blogspot.com.br/

Os 10 melhores canhotos do Brasil

Houve época no Brasil, que todo grande clube tinha no elenco um canhoto habilidoso, geralmente no meio campo ou na ponta esquerda. Jogadores criativos no meio campo são uma raridade nos dias de hoje e os pontas foram banidos do futebol moderno, por isso só nos resta a saudade.
Há um problema inerente à listas: elas sempre refletem a opinião de quem as compila, então torna-se impossível agradar a todos e as broncas são inevitáveis. Se você discorda da lista abaixo, deixe a sua sugestão nos comentários.

10° – Quarentinha: O artilheiro que não sorria



Waldir Lêbrego, o Quarentinha é o maior artilheiro do Botafogo com 410 gols. Ponta de lança, com chute fortíssimo na perna esquerda, não comemorava os gols, simplesmente caminhava para o círculo central e esperava o reinício da partida. Quando questionado por tal atitude, respondia que era pago para fazer gols, portanto não fazia mais do que a obrigação.

9° – Éder Aleixo: O canhão de Vespasiano



Éder tinha o temperamento tão forte quanto o chute de canhota. Especialista em cobranças de falta, aterrorizava os goleiros adversários com petardos espetaculares. Ídolo do Atlético Mineiro, disputou a Copa de 1982 na Espanha. Contra a União Soviética, fez um dos mais belos gols da seleção brasileira em mundiais.

8° – Pepe: O canhão da Vila


Pelé e Pepe

Dono de um chute violento na canhota, José Macia, o Pepe, é o segundo maior artilheiro da história do Santos com 405 gols. Pepe costuma brincar dizendo que ele é o maior goleador humano do Peixe, já que Pelé não é humano.
Por duas vezes sofreu contusões às vésperas de uma Copa, ficando fora do bicampeonato de 1958-1962.

7° – Canhoteiro: O Garrincha canhoto




José Ribamar de Oliveira, era um driblador espetacular. Quem o viu jogar, afirma que ele fazia pela esquerda, o mesmo que Garrincha pela direita. Não foi convocado para a Copa de 1958 supostamente devido à sua vida boêmia e a um medo terrível de viajar de avião.

6° – Roberto Carlos: Polêmico e eficiente




Odiado por muitos, por estar amarrando as chuteiras num lance decisivo contra a França em 2006, Roberto Carlos é um dos mais eficientes laterais da história do futebol. Ídolo do Real Madrid e Palmeiras, agora está no Corinthians.

5° – Rivaldo: Habilidade e eficácia




Meia atacante habilidoso e goleador, Rivaldo foi fundamental na conquista da Copa do Mundo de 2002. Sempre muito criticado pela imprensa brasileira, na Europa seu futebol nunca foi contestado. Rivaldo é um dos maiores artilheiros do Brasil em Copas do Mundo com 8 gols.

4° – Gérson: O canhotinha de ouro




Armador clássico, capaz de fazer lançamentos de mais de quarenta metros, Gérson teve seu nome ligado à famigerada lei de Gérson. O canhotinha de ouro foi campeão do mundo no México, com a mitológica seleção de 1970.

3° – Tostão: O mineirinho de ouro



Poucos jogadores conseguiram aliar habilidade, visão de jogo, faro de gol e futebol em equipe como Eduardo Gonçalves de Andrade, conhecido com Tostão. Campeão do mundo em 1970, encerrou a carreira de forma prematura em 1974, devido a um deslocamento da retina que sofrera em 1969, ao levar uma bolada do zagueiro Ditão, do Corinthians. Formou-se em medicina e escreve crônicas esportivas para vários jornais do Brasil.

2° – Rivelino: A patada atômica




Rivelino foi um dos maiores jogadores da história do futebol. Exímio cobrador de faltas, driblador, também organizava as jogadas no meio campo com maestria. Maradona, em um raro momento de lucidez, declarou que Rivelino fora seu ídolo como jogador.

1° – Nilton Santos: A Enciclopédia do futebol




Para falar de Nilton Santos, vou usar as palavras do grande jornalista Armando Nogueira:
Tu em campo, parecia tantos, e no entanto, que encanto! Eras um só, Nilton Santos.”

Visite o site oficial do grande Nilton Santos.