http://kid-bentinho.blogspot.com.br/

Os 10 fatos mais hilários ocorridos em Olimpíadas

Quando ouvimos a palavra Olimpíadas, as primeiras imagens que nos vem à mente, são de homens e mulheres de corpos perfeitos, com uma força de vontade férrea, sempre em busca da vitória. Associados à superação, à esportividade, à saúde, fica difícil imaginar cenas em Jogos Olímpicos dignas de uma boa comédia, mas elas ocorreram.
É claro que o engraçado para o expectador, pode ser trágico para o protagonista da cena, tudo é uma questão de ponto de vista. Conheça 10 fatos hilários ocorridos em Olimpíadas.

humor_olímpico

 

1 – Nadando com os sapos


A natação atual atingiu um nível de sofisticação incrível. Ginásios espetaculares, roupas cheias de tecnologia, salários atraentes, tudo isso faz do esporte, uma das competições mais nobres das Olimpíadas. Lá 1904, porém, as coisas eram um pouco diferentes. Nos Jogos Olímpicos daquele ano, as instalações eram precárias. As provas de natação foram realizadas  num tanque de águas turvas, habitado por peixes, sapos, rãs e outras criaturas aquáticas.

2 – Vou de táxi

O americano Fred Lorz, chegou tranquilamente em primeiro lugar, na maratona dos Jogos Olímpicos de Saint Louis, em 1904. Como o segundo colocado não aparecia, suspeitas começaram a ser levantadas sobre a superioridade do campeão. Descobriu-se então, que o camarada havia percorrido 18 quilômetros da prova, de carona, no carro de um amigo. Assim, até eu!

3 – Haja energético


A maratona da Olimpíada de 1904 é o cenário de outra cena hilária. Descoberta a artimanha do falso super homem, a medalha de ouro precisava de um dono. O problema é que o segundo colocado, o americano Thomas Hicks, não aguentava dar mais um passo. Durante a prova, foi reanimado várias vezes com ovos crus, conhaque e estricnina (isso mesmo: estricnina ). Cruzou a linha de chegada completamente bêbado e delirante.


Marathon_Hicks           Thomas Hicks, vence a maratona, em 1904

 

4 – Cadê os adversários?

Em 1908, nos Jogos Olímpicos de Londres, a primeira prova dos 400 metros livres foi cancelada. A equipe americana não gostou nem um pouco da decisão, se recusando a participar de uma nova disputa. Resultado: o inglês Whyndam Halswelle levou a medalha de ouro, correndo completamente sozinho. O que terá sido feito com as medalhas de prata e bronze?


5 – Lá vem o pato, pato aqui, pato acolá…


Amsterdã, 1928, em meio à uma ferrenha disputa válida pelas quartas de final do remo, Henry Pearce, remador australiano, parou para deixar passar uma família de patos que atravessa em fila, frente ao seu barco. Ainda assim, ganhou a eliminatória e terminaria por ganhar a medalha de ouro na final. Pergunta: onde estavam os outros competidores?


6 – Aqui, pra vocês!


Apesar do boicote de muitos países do Ocidente, uma imagem dos Jogos de Moscou, em 1980,  rodou bastante em todos eles: após conseguir o ouro no salto com vara, o polonês Władysław Kozakiewicz, farto das vaias da plateia soviética, que torcia pelo atleta local Konstantin Volkov, mandou para ela, uma bela "banana". O ato agradou à opinião pública polonesa, também cansada da forte influência da URSS sobre o país. No ocidente, foi visto como um protesto político.

Polonês manda banana pros russos

7 – Na mosca


Em Roma, nos Jogos de 1960, o atirador finlandês Vilho Ylönen, acertou um tiro na mosca na final do tiro de campo. O alvo porém, era do atirador ao lado, um pequeno detalhe inconveniente.  Vilho viu assim, o seu adversário levar o ouro.


8 – Dormir demais custa caro

Na Olimpíada realizada em Munique, em 1972, os velocistas americanos Ray Robinson e Eddie Hayes eram franco favoritos ao pódio. Ganharam facilmente as baterias eliminatórias. No dia da semifinal, dormiram demais, perderam o horário da prova e foram eliminados. Como desgraça pouca é bobagem, ainda viram pela televisão o russo Valery Borzov levar a medalha de ouro.

 

9 – Joguem uma boia


Havia somente 6 meses que ele aprendera a nadar. No seu país, a Guiné Equatorial, não existia piscinas olímpicas, mas o universo parecia conspirar para o sucesso de Eric Moussambani; na série classificatória, os dois adversários foram eliminados por terem feito falsas partidas. O nosso Eric disputaria a prova sozinho. É aí que a vaca foi pro brejo. O tempo, quase o triplo dos primeiros colocados, e o quase afogamento do nadador foram motivos de piada e também de comoção em todo o mundo. Pela humildade e simpatia, Eric conquistou o público.


DESSE, EU GANHO! SERÁ?

 

10 – O ataque do padre de saiote

O atleta está prestes a conquistar a maior glória da carreira, os adversários estão sob controle, a linha de chegada se aproxima e então ele pensa: nada vai me impedir de vencer. Ledo engano. Eis que surge, fugido de algum manicômio, um ex-padre de saiote e rouba a vitória do nosso herói, o brasileiro Vanderlei Cordeiro de Lima. A cena é bizarra, mas, como todos sabem, aconteceu na maratona em Atenas, nos Jogos de 2004.



ESSE LOUCO NÃO PODIA TER ATACADO O SEGUNDO COLOCADO?