http://kid-bentinho.blogspot.com.br/

Pequeno vocabulário da prostituição da Roma Antiga

A prostituição não era nem ilegal nem estigmatizada na Roma Antiga e, na verdade, não era incomum que uma mulher da classe alta, "de espírito independente " se tornasse uma cortesã. Quando Augusto decidiu incentivar a natalidade nas classes superiores, taxando os patrícios adultos solteiros, muitas mulheres se registraram como prostitutas, para   não  serem forçadas a casar. Esta lacuna foi posteriormente fechada por Tibério, ele proibiu que  as mulheres de categoria senatorial trabalhassem como prostitutas.


Prostitutas registradas eram chamadas meretrices e as não registradas prostibulae (que, como você provavelmente  pode concluir,  é a fonte da nossa palavra "prostituta").  Entretanto, dentro dessas duas categorias gerais, havia uma desconcertante variedade de termos para prostitutas, especialmente entre as da classe baixa, a postagem de hoje é uma espécie de léxico destes termos e  de  outros conceitos relacionados.

Aedile : O funcionário, cujo dever era o de registrar prostitutas e prender aquelas que praticavam o ofício sem licença, uma vez que ele e seus comandados normalmente podiam  ser subornados com dinheiro ou favores, ele é o protótipo do cafetão, tão comum em nossos dias.

Aelicariae: prostitutas que trabalhavam no pátio dos templos, elas vendiam favores sexuais e pequenos bolos feitos na forma da genitália masculina ou feminina para o sacrifício a Vênus ou Príapo.

Amasiae: mulheres que se prostituíam em tempo parcial, como uma forma de adoração à Vênus.

spartacus-star

Ambubiae
: cantoras profissionais, a maioria dos quais  se prostituía, pelo menos a tempo parcial.

Amica:  prostituta que também atendia a clientes do sexo feminino.

Ancillae ornatrices
: servas que ajudavam as prostitutas ou cortesãs a limpar-se, pentear o cabelo, entre outros afazeres.

Aquarii: funcionários em bordéis que serviam  vinho e outras bebidas, além de levar água para a higiene das profissionais do estabelecimento.

Blitidae: prostitutas que trabalhavam em tabernas , cujo nome provém do vinho barato ( blitum ) vendido nesses estabelecimentos.

Bustuariae : carpideiras que se prostituíam em cemitérios, nas cerimônias de funeral. Eles costumavam entreter seus clientes sentadas em lápides ou deitadas em criptas.

Citharistriae: harpistas profissionais, a maioria das quais se prostituía, pelo menos a tempo parcial.

Delicatae: prostitutas de luxo, algumas das quais também eram atrizes.

whores
Diobolares : prostitutas de rua muito baratas, cujos préstimos custavam ​​apenas dois óbolos.

Diversorium : a pensão que alugava quartos para prostitutas.

Famosae : cortesãs das classes superiores, que sem qualquer necessidade material, se prostituíam por prazer.

Fellatrix: prostitutas especializadas em felação, a maioria delas trabalhava em casas de banho.

Forariae : aquelas que praticavam seu comércio em estradas rurais perto de Roma, cujos principais clientes eram viajantes.

Fornicatrices : aquelas que exerciam a profissão debaixo dos arcos de pontes e edifícios.

Fórnices: Os arcos debaixo dos grandes edifícios romanos, em cujos recessos sombrios muitas prostitutas entretiam seus clientes. Nossa palavra "fornicação", é derivada dessa prática.

Leno : Um bordel . A gerente  ou  a dona do lugar era uma lena.
Lupae: prostitutas que atraíam os clientes, uivando como lobos.

Lupanar: Bordel. Sob a lei romana, bordéis só eram autorizados a operar a partir de 15:00 horas até a madrugada.

Noctilucae : as que  trabalhavam somente à noite.

Nonariae: baixa classe de meretrices, cujas licenças limitadas  lhes permitiam trabalhar somente a partir de 21:00 até a madrugada.

Quadrantariae : prostitutas escravas.

Scortum : um termo geral para qualquer prostituta da classe baixa.

Stabula : Um bordel composto por uma grande sala onde o sexo ocorria  à  vista dos outros clientes e prostitutas.

Tabernae: Padarias. A maioria dos padeiros alugava pequenos quartos em seus porões para prostitutas, mas, uma vez que estas instalações eram frequentemente invadida por Aediles, que procuravam prostitutas não licenciadas, quem frequentava esses lugares tinha que  entrar e sair o mais rápido possível. Os padeiros, é claro, também forneciam bolos à aelicariae .

Tugurium : uma cabana alugada por um preço extremamente baixo para prostitutas cujos clientes queriam maior privacidade.

Ilithyia

Turturillae
("casas de pombo"): grande gaiolas  em que algumas prostitutas entretiam os clientes,  método geralmente usado por prostitutos travestis.

Venerii: Prostitutas-sacerdotisas de Vênus, que ensinavam  técnicas sexuais para cortesãs, de acordo com alguns historiadores, elas praticavam uma disciplina espiritual semelhante ao tantrismo.

Villicus : Espécie de recepcionista e  caixa em um bordel, que conhecia as habilidades e atributos de todas as moças da casa e respondia às perguntas dos clientes.