http://kid-bentinho.blogspot.com.br/

O protetor de seios usado pela operárias americanas durante a II Guerra

A entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial implicou, como nos outros países envolvidos, no abandono de milhares de postos de trabalho ocupados pelos cidadãos que partiram para os campos de batalha. Profissões antes exercidas apenas por homens, em áreas como a construção civil,  estaleiros, siderúrgicas  e  fábricas de armas, passaram a ser desempenhadas por mulheres. A discussão sobre a capacidade feminina em exercer atividades, antes exclusivas aos varões, terminava ali, embora algumas mentes primitivas ainda relutem em aceitar essa verdade.

Esse novo papel das mulheres na sociedade,  gerou até um ícone cultural americano: Rosie, the Riveter ( Rose, a Rebitadeira ), com o seu clássico lema: We Can Do It! ( Nós podemos fazer isso ).

We_Can_Do_It

Novos tempos exigem mudanças. Dessa maneira, o Ministério da Mulher, no âmbito do Departamento do Trabalho Americano, dentre as muitas decisões tomadas "para promover o bem-estar das mulheres assalariadas, melhorar suas condições de trabalho, aumentar a sua eficiência e promover as suas oportunidades de emprego rentável", decidiu modificar os uniformes de trabalho, ajustando-os às diferenças físicas entre homens e mulheres. Entrava em cena o: SAF-T-BRA, um sutiã de plástico rígido que protegia os seios das operárias. O curioso equipamento de proteção individual foi criado por Willson Goggles, da Pensilvânia.

SAF-T-BRA
O protetor de seios para as operárias americanas

A adoção do sutiã  protetor e de outros equipamentos não foi a única medida de segurança adotada pelo Ministério da Mulher. Na década de 40, o penteado peekaboo, [ veja algumas versões modernas ] popularizado pela atriz Veronica Lake, era a sensação entre o público feminino americano, mas infelizmente, ele também estava relacionado com milhares de acidentes de trabalho.

Um penteado causando  acidentes em fábricas pode parecer estranho, contudo, o motivos dessa inusitada relação ficam evidentes quando olhamos para a fotografia da bela Veronica Lake. Em primeiro lugar, o penteado encobria a visão das trabalhadoras, devido a isso, elas muitas vezes deixavam as mãos embaixo de prensas, guilhotinas, furadeiras e  serras, o que resultava em severas mutilações. O segundo problema era com o comprimento dos cabelos. As madeixas longas frequentemente ficavam presas  em correias, em engrenagens e em outras partes do maquinário industrial, provocando graves acidentes.

A situação ficou tão alarmante, que as autoridades entraram em contato com os produtores de Veronica Lake, para que convencessem a estrela a trocar de visual. Por coincidência ou não, quando a atriz mudou o estilo do penteado, a carreira dela entrou em  declínio.

Peekaboo
Veronica Lake e seu penteado peekaboo

É claro que o papel das mulheres na Segunda Guerra Mundial não se restringiu somente à participação delas na indústria bélica. Não bastasse o sacrifício supremo de ver os companheiros e os filhos partirem para a guerra e o imprescindível trabalho como enfermeiras nos hospitais de campanha, elas também estiveram na frente de batalha. Para ficarmos só nos Estados Unidos, quando terminou a grande guerra, havia 150 mil mulheres servindo no Women’s Army Corps (WAC), essas foram as primeiras soldados do Exército Americano.