10 curiosidades sobre as participações do Brasil nas Copas do Mundo

O Brasil é o único país cuja seleção participou de todas as Copas do Mundo. Entre tantos jogos, gols e conquistas, ocorreram também alguns fatos curiosos que merecem ser conhecidos. Nessa serie de postagens, falaremos de algumas curiosidades envolvendo a seleção brasileira em sua odisséia nos mundiais disputados até agora, começando pelas Copas de 1930, 1934, 1938 e 1950.


Brasil na Copa de 1938

1 - O primeiro gol do Brasil em Copas do Mundo foi marcado por Preguinho, contra a seleção da Iuguslávia, no Mundial de 1930, disputado no Uruguai. Apesar do pioneirismo, o gol não evitou a derrota brasileira por 2 a 1. Preguinho era filho do famoso escritor Coelho Neto.

2 - Na Copa do Mundo de 1934, o Brasil foi prejudicado pelas brigas entre os dirigentes das entidades futebolísticas amadora e profissional. Alguns jogadores do Palestra Itália (atual Palmeiras ),como Romeu, Lara, Gabardo, Junqueira e Tunga chegaram a ser escondidos numa fazenda em Matão, para não serem convocados pela CBD. A fazenda foi cercada de guardas armados. Como o lugar era tenebroso, assustando até os próprios jogadores, um diretor do Palestra Itália os transferiu para sua casa de praia.

3 - Os quinze dias de viagem para a França, sede da Copa de 1938, a bordo do navio Arlanza, foram um problema para a Seleção brasileira. Os jogadores engordavam, apesar dos exercícios físicos no convés. Romeu, o que tinha mais tendência a engordar, saiu do Brasil com setenta quilos e desembarcou na França com setenta e nove.

4 - No jogo contra a Polônia, na Copa de  1938,  o Brasil usou pela primeira vez a camisa azul. Como os poloneses usavam camisas brancas, a mesma cor que o Brasil usava na época, o jeito foi jogar com camisas azuis, sem escudo, que eram utilizadas nos treinamentos.

5 – Ainda no jogo contra a Polônia, o centroavante brasileiro Leônidas da Silva marcou um gol de pé descalço. No segundo tempo da partida, com a chuva que caiu no gramado  e a lama que se formou no campo, Leônidas teve a sua chuteira estourada. Enquanto ela era consertada, o atacante fez um gol de pé descalço, após o rebote de uma cobrança de falta. O Brasil venceu o jogo por 6 a 5.

Leônidas, o Diamante Negro
6 – Também na Copa de 1938, o Brasil enfrentou a Tchecoslováquia em Bordeaux, no jogo  que ficou conhecido como "Batalha Campal". A fraca arbitragem do húngaro Paul Von Hertzka fez com que os jogadores de ambos os lados abusassem das jogadas duras. Resultado: 1 a 1 após a prorrogação, com Machado e Zezé Procópio do Brasil e Riha da Tchecoslováquia expulsos. O goleiro tcheco deixou o campo com o braço quebrado, e o artilheiro tcheco Oldrich Nejedly levou tanto pontapé que o acompanhou ao hospital. Com o empate, foi realizada uma nova partida de desempate dois dias depois. As duas equipes levaram seus jogadores reservas. Para surpresa geral, esse jogo transcorreu em paz e calmaria. Deu Brasil por 2 a 1, com gols de Leônidas da Silva e Roberto, com Kopecky marcando para os tchecos.

7 - Depois da vitória italiana sobre o Brasil em 1938, o jornal "La Gazzetta dello Sport", influenciado pela ideologia fascista, escreveu: "Saudamos o triunfo da inteligência branca italiana sobre a força bruta dos negros".

8 - Por causa da Segunda Guerra Mundial, a Copa do Mundo não vinha sendo disputada desde 1938; após a guerra, a Federação Internacional de Futebol desejava ressuscitar a competição assim que possível, e começou a planejar a próxima copa. No pós-guerra, a maior parte do continente europeu estava em ruínas. Como resultado, a Federação Internacional de Futebol teve algumas dificuldades em encontrar algum país interessado em sediar o evento, uma vez que muitos governos acreditavam que o cenário mundial não favorecia uma celebração esportiva e também que era mais importante que os recursos que seriam investidos na Copa do Mundo não fossem desviados de outras assuntos mais urgentes. No Congresso na cidade de Luxemburgo, em 25 de julho de 1946, foi decidido que a quarta Copa do Mundo, em 1950, seria realizada no Brasil.

Brasil na Copa de 1950
9 – A final da Copa de 1950  eternizou a palavra "maracanaço", derivada de uma expressão latina (em espanhol: Maracanazo) usada pelos adversários para provocar os brasileiros. O silêncio tomou conta do Maracanã às 16 horas e 50 minutos do dia 16 de julho de 1950. O Brasil precisava apenas de um empate. Saiu ganhando e perdeu por 2 a 1. Desolados, os quase 200 mil torcedores demoraram mais de meia hora para deixar o estádio. O time brasileiro teve trinta lances de gol e nossos jogadores cometeram quase o dobro de faltas, um total de 21, contra apenas onze do Uruguai.

10 - Na tentativa de encontrar um culpado para a derrota do Brasil, os supersticiosos de plantão culparam a troca do local de concentração na véspera da final, ou ainda culparam o uniforme, alegando que este deu azar para a seleção. A partir daí, a seleção abandonou o branco e passou a jogar com o seu clássico uniforme amarelo. Outros escolheram Flávio Costa como bode expiatório, devido as 2 horas de missa na manhã do jogo impostas pelo treinador aos jogadores, que rezaram de pé.
10 curiosidades sobre as participações do Brasil nas Copas do Mundo 10 curiosidades sobre as participações do Brasil nas Copas do Mundo Reviewed by Bento Santiago on junho 09, 2014 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.