6 sogras que farão a sua parecer uma santa

A mãe do seu cônjuge é intrometida, crítica ou simplesmente irritante? Seja qual for a sua resposta, comparada com as seis sogras apresentadas nesse artigo, a sua parecerá uma santa. Aqui falaremos, entre outras mulheres,  de Madge Gadges Wallace, que nunca considerou Harry Truman bom o suficiente para sua filha e de Bona Sforza, que supostamente envenenava as esposas do filho. Estas senhoras lendárias e suas formas peculiares de lidar com genros e noras, levarão você a agradecer por sua sogra ser esse doce de pessoa!


1 – Bona Sforza


Bona Sforza
Nascida por volta de 1494 em uma família poderosa, que governava a cidade de Milão, Bona Sforza foi casada com um viúvo bem mais velho do que ela: o rei Sigismundo I da Polônia. Bem-educada e inteligente, ela se envolvia nos assuntos políticos e financeiros do reino.

Mas apesar de tanta influência, Bona não conseguiu impedir um casamento arranjado entre seu filho, Sigismundo II,  e Isabel da Áustria, membro da Casa de Habsburgo, opositora declarada da futura sogra. Bona, por sua vez, também não fez nenhuma  questão de esconder sua antipatia pela nora, que morreu dois anos após o casamento com Sigismundo.

A escolha de Sigismundo para sua próxima esposa recaiu sobre sua amante de longa data, Bárbara Radziwill, fato que enfureceu Bona, especialmente porque os membros proeminentes da corte apoiavam sua desaprovação. Bárbara sucumbiu à uma doença misteriosa cinco meses após seu casamento, levando muitos a suspeitar que Bona usou veneno para se livrar da nora indesejável.


2 – Sara  Roosevelt

Sara Roosevelt
Quando Franklin Delano Roosevelt se apaixonou por sua  prima, Eleanor; sua mãe Sara o levou em um cruzeiro para dissuadi-lo de prosseguir com o namoro. No entanto, os primos se casaram em 17 de março de 1905.

Como presente de casamento, Sara construiu para os recém-casados, um  moradia na Upper East Side de Manhattan, cujo projeto e decoração foram feitos por ela mesma.

O que os Roosevelt não perceberam quando aceitaram a oferta generosa da matriarca,  era que caíram num plano que incluía um apartamento para Sara,  com ligação para todos os aposentos, da casa. Durante os primeiros anos de casada, Eleanor viveu na sombra de sua sogra dominadora, que ordenou a futura primeira-dama americana a abandonar seu trabalho de caridade, para se dedicar exclusivamente à família.

Eleanor só ganhou certa independência quando seu marido foi eleito para o Senado do Estado de Nova York e levou a família para Albany, deixando Sara para trás.

Veja também: 10 fatos inusitados envolvendo famosas figuras históricas


3 – Sofia da Baviera

Sofia da Bávaria
Sofia desejava colocar seu filho mais velho no trono austríaco, fato que era um tema constante nos assuntos políticos da Áustria. Na época, Sofia era chamada de “o único homem da corte”.

Durante as Revoluções de 1848, ela convenceu seu marido, um homem de mente fraca, a desistir de seus direitos ao trono em favor de Francisco José. Com a abdicação de Fernando I, seu cunhado, em favor de seu primogênito, Sofia tornou-se ainda mais influente.

Em 1853, Sofia convidou sua irmã Ludovica Guilhermina para visitá-la em companhia da filha Helena, então com dezessete anos. O objetivo de Sofia era casar seu herdeiro com a prima. A irmã Isabel, chamada carinhosamente de “Sissi”, então com quinze anos, foi junto. Ao vê-la, Francisco José apaixonou-se pela prima mais jovem, com quem se casou em abril de 1854, tornando-a imperatriz da Áustria.

Apenas 10 meses mais tarde, Isabel de a luz à uma menina. Sofia escolheu o próprio nome para  a neta, sem  consultar a nora, além disso, Sofia a impedia de ver a criança, que morreu dois anos depois, durante uma viagem a Budapeste.

A relação hostil entre as duas mulheres foi, sem dúvida, um dos fatores que destruíram o casamento de Isabel, mergulhando-a em depressão, anorexia e bulimia.


4 – Catarina de Médici

Catarina de Médici
Catarina de Médici foi uma nobre italiana que se casou com o rei Henrique II da França, cuja força política se tornou proeminente durante os reinados sucessivos de seus três filhos.

Planejando consolidar o poder de sua família, ela forçou sua filha Marguerite a se casar com Henrique de Bourbon, que tinha duas coisas odiadas por Catarina: a fé protestante e a mãe Joana.

Joana adoeceu e morreu pouco depois de chegar na corte com seu filho relutante, levando alguns a acusar Catarina de ter assassinado a mãe de seu genro com luvas envenenadas.

Após o casamento em 1572, facções católicas desencadearam uma onda de assassinatos seletivos sobre os protestantes que se reuniram em Paris para festividades. Os historiadores acreditam que Catarina autorizou ou pelo menos sabia da carnificina, da qual seu genro escapou por pouco.

O relacionamento de Catarina  com sua nora, Maria Stuart também foi tenso. Quando Francisco II, o marido da jovem rainha morreu, Catarina  ordenou a nora viúva a devolver as jóias da coroa e parir para casa, na Escócia, imediatamente.


5 – Madge Gates Wallace

Madge Wallace
Na opinião de sua mãe, Bess Wallace poderia ter conseguido um marido muito melhor do que Harry Truman, o filho de um fazendeiro que nunca se formou na faculdade e não conseguia manter um emprego. Pelo menos Madge Gates Wallace pode cuidar de sua filha durante os primeiros anos de seu casamento, uma vez que ela e o marido não podiam arcar com as despesas de uma casa própria.

Quando Truman entrou para a política, Madge fazia pouco caso dele constantemente, questionando suas decisões políticas e expressando abertamente a opinião de que ele nunca teria sucesso.

Madge creditou a vitória de Truman nas eleições presidenciais à influência da filha, não se importando de viver com o casal na Casa Branca, onde continuou a infernizar a vida do genro, criticando cada passo dele.


6 – Maria Feodorovna

Maria Feodorovna
Novembro 1894 foi um mês difícil para Maria Feodorovna, uma princesa dinamarquesa que passara 13 anos como  imperatriz consorte da Rússia.

Em primeiro lugar, seu marido, o  Czar Alexandre III morreu após uma breve doença. Três semanas mais tarde, seu filho mais velho, Nicolau II, casou-se com  Alexandra de Hesse, a neta de origem alemã da rainha Vitória,

Famosa por seu charme e sociabilidade, a imperatriz permaneceu gelada com a séria e tranquila, nora, que não se dava bem com brilho dos holofotes.

Alexandra, também se ressentia do papel de Maria como confidente  de seu marido. Ela tinha a sensação de ser menosprezada pela tradição russa, que a obrigava a seguir atrás do marido e da sogra durante as cerimônias oficiais. Além do mais, Maria se recusava a entregar as jóias da coroa para a czarina recém-coroada. Até os revolucionários colocarem um final sangrento à monarquia russa, em julho de 1918, Alexandra nunca conseguiu encantar o povo russo, que constantemente a comparava à sogra.

Veja também: 5 romances que mudaram a história do mundo

6 sogras que farão a sua parecer uma santa 6 sogras que farão a sua parecer uma santa Reviewed by Bento Santiago on janeiro 11, 2015 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.